fbpx

CANNABIS MEDICINAL: O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE USAR

        Ainda que você possa ter ouvido falar sobre a Cannabis Medicinal apenas recentemente, a planta e suas propriedades terapêuticas estão presentes na história de diversos povos ao redor do mundo há mais de 10 mil anos. O primeiro registro encontrado do uso da planta foi por volta de 2.700 antes de Cristo no livro chinês Pen Tsao, considerado por historiadores como a primeira farmacopeia.

         Seu uso era muito comum em forma de chá e emplasto através da maceração. Utilizada para tratar dores articulares, malária, inflamações e epilepsias refratárias, glaucoma e outros desequilíbrios físicos, a Cannabis sempre esteve presente na vida dos povos orientais. Seu uso ia além do tratamento de doenças, muitos utilizavam-na para rituais espirituais e religiosos.

         A planta só chegou nas Américas com o avanço da colonização, quando africanos a trouxeram nas embarcações e disseminaram seu uso por aqui. Com o tempo, a Cannabis passou a ser discriminada e criminalizada. Uma espécie de perseguição religiosa e moral fez com que a planta deixasse de ser utilizada, tanto como remédio como em rituais. Grande parte do preconceito com a planta deve-se ao fato de seu uso (de forma indiscriminada) causar uma espécie de alucinação ou “miragem”, em função do efeito da substância THC (sobre o que vamos falar mais adiante).

         O tempo passou e mesmo com a discriminação da planta, estudos avançaram e suas propriedades medicinais foram finalmente reconhecidas pela medicina. A ‘Lei da Compaixão’, foi um grande marco na história do uso da Cannabis Medicinal. Sua aprovação aconteceu em 1995, em um plebiscito na Califórnia (EUA), dando origem à primeira regulamentação para a Cannabis em décadas.

         No Brasil, a regulamentação da Cannabis Medicinal aconteceu somente em 2015 para utilização, em um primeiro momento, em crianças portadoras de síndromes raras que se enquadravam em um quadro de epilepsia refratária. Posteriormente, pacientes com esclerose múltipla, câncer e dor neuropática passaram a buscar e utilizar as propriedades da planta para amenizar sintomas, reduzir dores e melhorar a qualidade de vida.

         Com a regulamentação de uso da Cannabis Medicinal, mais pesquisas avançaram e descobriu-se que era possível tratar, não só as doenças já mencionadas, mas também doenças que atingem grande parte da população como: ansiedade, depressão, insônia, Alzheimer, Parkinson, autismo, fibromialgia e outras. A cada ano que passa, mais pesquisas e novas descobertas sobre seu uso mostram o que povos muito antigos já sabiam: a Cannabis é uma planta de cura.


MAS AFINAL, COMO A CANNABIS MEDICINAL ATUA NO ORGANISMO?

            Você sabia que todos nós, seres humanos, e até alguns animais (mamíferos e invertebrados), possuímos um sistema chamado Sistema Endocanabinóide? Esse sistema é responsável por diversas reações bioquímicas no nosso corpo. Uma das mais importantes é o nosso equilíbrio interno que está diretamente ligado ao processo de homeostase. A Dra. Paula Estella, membro do Núcleo de Cannabis Medicinal do Hospital Sirio Libanes, explica:

“É como se esse sistema fosse uma comunicação entre o cérebro e o corpo humano. Está envolvido em vários processos fisiológicos, como a modulação de todos os eixos endócrinos, a modulação da dor, a regulação da atividade motora, o controle de processos cognitivos, a modulação da resposta inflamatória e imunológica, a ação antiproliferativa em células tumorais, o controle do sistema cardiovascular, entre outros”.

         Quando utilizamos a Cannabis Medicinal, estamos conectando suas propriedades ao nosso sistema endocanabinóide. André Steiner, CEO da The Quantic Hub, explica:

“As moléculas de canabinóides vegetais encontrados na Cannabis, como: CBD, THC, CBN, CBG, CBDV e outros, têm uma estreita relação molecular com nossos endocanabinóides, e estes ajudam a regular nossos corpos e seus sistemas”

       Atualmente, aqui no Brasil, o modo mais comum de uso da Cannabis Medicinal acontece através do óleo de CBD isolado ou Full Spectrum. Mas o que isso significa?

          CBD Isolado: o CBD isolado é a forma mais comum utilizada pelos médicos. Ele consiste na forma mais pura de canabidiol, sendo isolado de todos os outros componentes da planta, incluindo terpenos, flavonoides, parte de outros canabinoides etc;

         Full Spectrum: diferente do CBD isolado que contém apenas o canabidiol em seu estado de pureza, o Full Spectrum contém todas as propriedades da planta. Ou seja, contém uma variedade de compostos químicos, incluindo o THC, THCa, CBD, CBDa, CBG e CBN, terpenos, flavonóides, proteínas, fenóis, esteróis e ésteres.

         Ainda que esses sejam os principais modos de uso da Cannabis Medicinal aqui no Brasil, existem outras fórmulas como Broad Spectrum e THC isolado, que também podem ser consumidas.

A lista de benefícios do uso da Cannabis Medicinal é extensa e a verdade é que ainda não conhecemos todas as possibilidades de uso e benefícios da planta, muitos estudos ainda estão em andamento. Mas podemos afirmar que os principais benefícios da são:   

  • Efeito anticonvulsivo
  • Anti-inflamatório
  • Antidepressivo
  • Anti-hipertensivo
  • Analgésico
  • Auxilio no aumento de apetite
  • Redução de dor
  • Recuperação de habilidades motoras
  • Regulação do ciclo de sono
  • Ansiolítico

          Dentre as principais doenças tratadas com o auxílio do óleo de Cannabis Medicinal estão: esclerose múltipla, fibromialgia, Parkinson, Alzheimer, depressão, autismo, epilepsia refratária, depressão, síndrome do pânico, insônia, câncer e outras patologias que desenvolvem dores crônicas como: cefaleia (dor de cabeça crônica) e dores musculares.

         Você deve estar se perguntando: se a planta tem tantos benefícios, por que existem fórmulas diferentes (CBD Isolado e Full Spectrum) da Cannabis Medicinal? E por que ainda é tão restrito o seu uso?

         As fórmulas diferentes existem para contemplar os diversos tipos de pacientes e patologias, isso porque algumas pessoas apresentam algum tipo de intolerância ao THC, ainda que com uma dosagem muito pequena (0,2%) presente na fórmula Full Spectrum, alguns pacientes com desequilíbrios mentais como esquizofrenia e autismo, por exemplo, acabam por não se beneficiar da propriedade.

         O tratamento com Cannabis Medicinal deve ser feito com acompanhamento de um médico especializado no assunto. O fato de se tratar de um medicamento natural, não significa que seu uso não necessite de controle, manejo de dosagem e tempo de uso. Alguns pacientes podem apresentar algum nível de intolerância ou efeitos colaterais, entre eles:

  • Sonolência: esse é um sintoma relatado por muitos pacientes no início do tratamento, mas que desaparece muito rapidamente;
  • Prisão de ventre, diarreia e/ou ânsia de vomito: assim como outros medicamentos, a Cannabis Medicinal é metabolizada no fígado e pode causar esses sintomas, também temporários;
  • Distúrbios de equilíbrio e atenção;
  • Aumento da pressão arterial, taquicardia e débito cardíaco: deve-se ter atenção a pacientes que já tenham algum problema cardíaco. Este efeito é temporário e costuma apresentar significativa melhora com regulação de dosagem;
  • Intoxicação do fígado: por ser metabolizada no fígado, como qualquer outro medicamento, a Cannabis Medicinal pode causar uma espécie de intoxicação não grave, por isso devemos ter controle de dosagem através da orientação de um médico.

         A maioria desses sintomas são causados pelo uso do THC e não do CBD isolado. Além disso, todos eles são temporários e podem ser regulados por meio de controle da dosagem utilizada por cada paciente.

 

CANNABIS MEDICINAL É PESSOAL.

            Sim, a Cannabis Medicinal é pessoal e vamos te explicar o motivo. Lembra quando falamos sobre o sistema endocanabinóide? Embora o sistema, em sua estrutura e função, seja igual para todos nós, a maneira como ele responde ao uso da Cannabis Medicinal é diferente para cada pessoa.

         Isso acontece porque somos únicos. Nosso DNA é 99,9% igual ao de todas as outras pessoas no mundo, porém existe 0,01% dele que é diferente para cada um de nós. Através de um exame de sequenciamento genético, como o Endo DNA  podemos encontrar o tipo de Cannabis Medicinal que mais se adequa ao seu corpo, evitando desconfortos de ajustes de dosagem, efeitos colaterais desnecessários e auxiliando o médico a escolher o tratamento mais assertivo para o seu caso.

         Com o teste de DNA você recebe um relatório chamado: ‘Endo-decoded’, onde seu DNA endocanabinóide é desmistificado, veja as informações que você pode encontrar nele:


ANSIEDADE:

  • Susceptibilidade à ansiedade.
  • Como a sua genética afeta áreas específicas do cérebro que podem desencadear ansiedade.
  • Que proporções de canabinóides e perfis de terpenos podem diminuir ou evitar a ansiedade.


DOR:

  • Seus níveis de sensibilidade à dor.
  • Efeitos colaterais dos opiáceos.
  • O CBD específico: índices de THC que são mais adequados para gerenciamento da dor.


SONO:

  • O uso de Cannabis poderia interferir com a qualidade de seu sono.
  • O que sua genética implica sobre seus estágios de sono.


METABOLISMO:

  • Sua resposta metabólica a THC comestíveis, ingeridos por via oral.
  • Quão bem seu corpo metaboliza o THC.
  • Você é geneticamente propenso a níveis mais altos de THC em seu sangue?
  • Métodos de administração de canabinóides que possam apoiar seus objetivos gerais de saúde.


DEPENDÊNCIA:

  • Riscos de dependência para seu perfil genético específico.
  • As últimas pesquisas sobre dependência e seu perfil genético.
  • Alternativas de baixo risco para discutir com seu médico.


FUNÇÃO COGNITIVA:

  • Descobrir a relação entre a genética e perda de memória.
  • Sua capacidade específica de sustentar atenção e reter os estímulos após o consumo de THC.
  • Cannabinóides a evitar quando a função cognitiva é um problema.

        Já pensou ter todas essas informações na mão antes mesmo de começar o tratamento com Cannabis Medicinal? Isso não só é incrível, como é possível.

Acesse: Quantic Genetics e saiba mais.

         Lembre-se sempre de procurar orientação médica ao optar por um tratamento com Cannabis Medicinal. Além disso, informe-se sobre a origem e método de produção do fitofármaco, tenha garantia de que está escolhendo uma empresa séria e comprometida.

         Para ficar por dentro do mundo da Cannabis Medicinal, seus usos e benefícios, acesse outros conteúdos em nosso Blog e nos acompanhe nas redes sociais.

17 de março de 2022

Compartilhe:

Abrir bate-papo
ESTAMOS ONLINE!
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?